09/04/2010



Uma pessoa tola é alguém que continua acreditando, mesmo contra toda a experiência vivida. Você o engana, e ele acredita em você; e você o engana novamente, e ele acredita em você; e você o engana novamente, e ele acredita em você. Então você dirá que ele é um tolo, que ele não aprende. Sua confiança é enorme, e tão pura que ninguém pode corrompê-la.

Seja um tolo no sentido taoísta, no sentido zen. Não tente criar um muro de conhecimento ao seu redor. Qualquer experiência que lhe acontecer, deixe que aconteça, e então liberte-se dela. Limpe continuamente sua mente, morra para o passado e permaneça no presente, como se tivesse acabado de nascer, um recém-nascido, apenas um bebê. No começo será difícil. O mundo começará a tirar vantagem de você... deixe-os. São pobres coitados.

Mesmo que você seja trapaceado, enganado e roubado, deixe acontecer, porque o que é realmente seu não pode ser roubado de você, o que é realmente seu ninguém pode tirar de você. E a cada vez que você impedir que as situações o corrompam, essa oportunidade tornar-se-á uma integração interior. Sua alma tornar-se-á mais cristalizada. (Osho)


(arte de Adelso do Prado)


Um comentário:

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Quando tiver tempo, veja o complemento do meu poema ao mar.


Bjs