17/10/2010



Às vezes, quando vemos por demais a verdade sobre nós mesmos, repentinamente refletida à nossa frente pelo mestre ou pelos ensinamentos, é difícil encarar, terrível de reconhecer, doloroso demais de aceitar como a realidade sobre nós.

Negamos e rejeitamos, numa tentativa absurda e desesperada de nos defendermos de nós mesmos, da verdade de quem realmente somos.

E quando há coisas por demais poderosas ou difíceis de aceitar nós as projetamos no mundo ao nosso redor, geralmente naqueles que mais nos amam e nos ajudam - nosso mestre, os ensinamentos, nosso parente, ou nosso melhor amigo.

Como podemos penetrar no rígido escudo deste sistema defensivo?

A melhor solução é reconhecer que vivemos envolvidos por nossas próprias ilusões. Para muitas pessoas, uma faísca da verdade pode deitar por terra toda a construção fantástica de visões errôneas, fabricadas pela ignorância. (Sogyal Rinpoche in Glimpse after Glimpse)



arte de Eric Montoya

2 comentários:

João Videira Santos disse...

Um texto interessante e que tem a ver com a circunstância da própria vida.

Vieira Calado disse...

Pois...

em qualquer situação

vivemos envolvidos em quimeras...

Bjs